Perfil

Minha foto
Projeto de escritor. To sempre de malas prontas pra lugar nenhum por que até hoje não achei casa alguma dentro de mim. (Pra saber mais, clique ali em Quem eu sou, à direita)

domingo, 22 de dezembro de 2013

Manias e rituais de escrita


Ando escrevendo pouco nos últimos dias. Ando ocioso, cansado. Talvez seja pelo fato de estarmos perto do fim do ano e o Natal se aproximando. Esse pretexto é ridículo, eu sei, porém não muda o fato de que para mim, acontece desse jeito. Refletindo sobre o ato de escrever e também sobre não escrever começo com uma das minhas manias: escrever sobre algo aleatório como um aquecimento para o que vem pela frente. Escrever não é fácil e exige muita concentração, disciplina e observação. Quase sempre escrevo no período da tarde. Estou em casa sozinho, não há nenhuma TV, rádio ou qualquer coisa que faça barulho para me desconcentrar. Escrevo em frente a uma parede branca e ao meu lado esquerdo tenho a vista de um mar de condôminios. Às vezes um livro me acompanha quando esbarro em uma barreira. A músicas por vezes pode ajudar. Quase sempre times new roman, 11 ou 12 e espaçamento duplo. O bloco de notas também ajuda - por sinal estou escrevendo este texto em um deles -, assim como um banho. Não consigo escrever se me sinto "sujo". O banho cai bem também quando estou no meio de uma narrativa e preciso de um tempo concentrado pensando sobre qual melhor caminho a seguir. Eu que pensava não ter muitas manias me descobri um louco. Mas prefiro ser um pouco dotado de manias do que ficar sem escrever com os pensamentos transbordando.

(Me inspirei nesse link aqui, do Michel Laub, e, aqui e achei legal partilhar essa curiosidade: http://michellaub.wordpress.com/category/escritores-e-manias/)


*Ainda essa semana falei sobre o Yeezus no Raplogia: http://freeraplogia.wordpress.com/2013/12/20/a-barulhenta-narrativa-de-yeezus/

5 comentários:

Cris disse...

Que bacana. Já eu escrevo, quase sempre, na madrugada. Escrevo pouco, muito pouco. Quando a inspiração vem e penso que vou escrever um jornal - de tantas ideias que tenho -, acabo abrindo o Word, despejo uma enxurrada de palavras e morro no terceiro parágrafo. Dificilmente termino um texto no dia em que o comecei. Eles precisam amadurecer. Esperar que eu mude tudo no dia seguinte. Não raro só o que sobra do texto inicial é a ideia. O resto todo é mudado. Eu também.

Frederico de Barros Silva disse...

Isso tem acontecido nos últimos dias e posso te dizer que dá um sentimento de frustração enorme. Já tive meu tempo de escrever na madrugada. É bom, ainda mais agora que ando ocioso. Mas durante a tarde acho que meu rendimento aumenta.

PS: adoro pessoas que comentam e ainda mais teus comentários sempre inteligentes.

Cris disse...

Ah, meu! Tuas postagens é que são inteligentes. Que um dia eu consiga render à tarde e escrever com a periodicidade com que tu escreves! Hahahaha.

Frederico de Barros Silva disse...

E eu queria saber escrever tão bem como tu. Quem sabe façamos um trato?

Cris disse...

Hahaha, façamos! Seria ótimo! Hahaha