Perfil

Minha foto
Projeto de escritor. To sempre de malas prontas pra lugar nenhum por que até hoje não achei casa alguma dentro de mim. (Pra saber mais, clique ali em Quem eu sou, à direita)

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

PLMDDS

            Estava novamente na estrada, meu destino era Criciúma. Paramos em Sombrio por aproximadamente 20 minutos. Sombrio é 1 hora distante de Criciúma, e a parada naquela cidade era mais uma daquelas que estava no cronograma da viagem. Um bar-restaurante à beira da estrada para os viajantes comprarem algo e irem ao banheiro. Fui um dos primeiros a descer do ônibus e me dirigi ao banheiro. Logo após sair de lá, ao ir para o ambiente externo avistei dois homens se abraçando de forma intensa. Nada demais, continuei andando e chequei meu celular ao mesmo tempo em que comia um salgadinho. Foi então que os olhares dos então presentes me fizeram reparar em um beijo homossexual. Minha reação foi nula, visto que estão nos seus direitos, mas para os expectadores não. Faces incrédulas como se não acreditasse que fosse possível dois homens se beijarem. Devem ter pensando “que ousadia”, ‘audácia’ e afins. Alguns devem ter se sentidos invadidos, consternados e até mesmo incomodados pelo gesto de afeto protagonizado pelo casal. Pois bem, eles idem. Acabaram saindo de vista por causa dos olhares nada discretos. As pessoas estão no seu direito de reparar também, e vamos ser sinceros, como sociedade estamos longe de uma consciência moderna. Ainda temos um longo caminho a trilhar para escapar de certos dogmas e tabus. Já ocorreram beijos gays em novelas, tais quais em filmes, tendo até o tema como propósito.
            Recentemente vi em uma novela que um dos principais protagonistas é gay. Outras novelas já abordaram o assunto e tiveram homens e mulheres interpretando esses papéis. Na elaboração do personagem, sempre está presente o bom humor e o fato de serem engraçados para mascarar o preconceito, caindo no gosto do grande público. Mas então, porque é tão difícil aceitar um homossexual quando nas telas isso se dá com facilidade? Em Santa Cruz do Sul, há pouco tempo, o pastor e deputado Marcos Feliciano, o autor da proposta de “cura gay” esteve palestrando em compromisso com sua Igreja. O papa Francisco também visitou o Brasil com seu bom humor, embora não tenha tocado em nenhum assunto polêmico, como o aborto, uso de camisinha e outros métodos contraceptivos e a homossexualidade. Ao menos Chico cativou a todos. A Igreja hoje conta com uma pessoa que se blinda de temas  polêmicos mas revitaliza o público com palavras dóceis e dá uma aula de como reestruturar uma marca já gasta: uma aula de marketing. O catolicismo nunca esteve tão em baixa em solo brasileiro, um lugar conhecido pela devoção. O argentino deu uma aula de tratamento ao cliente, Nem nas aulas dos cursos de Publicidade encontram um professor que dê exemplo melhor do que o Papa Hermano. Para a Igreja e sociedade, a homossexualidade é de fato, e continuará sendo um tema complicado. Não será Francisco que irá mudar isso. Não é uma crítica e sim uma constatação, veja bem.
            As reações vistas por mim, assim como os risos e até ofensas me fazem pensar o quão preconceituosos ainda somos. Temos problemas maiores como pessoas e cidadãos e mesmo assim, nos importamos com um ato de amor. Qualquer ato de amor é válido e felizes são aqueles que se amam, que tem alguém para amar e zelar. Não vivemos no século XV para comemorarmos a vinda do Papa e nascimentos e filhos de casais reais. Essa visão retrograda em nada nos acrescentará. Dom Pedro tinha inúmeras amantes, dentre esses amantes, alguns homens. No Egito Antigo há provas do homossexualismo em sua cultura e sociedade. O preconceito contra algo que está enraizado na historia humana é no mínimo curioso. O homossexualismo sempre existiu e sempre existirá. Ah, e sobre a cura gay: PLMDDS* né

*PLMDDS é uma expressão que significa: pelo amor de Deus. PLMDDS é o título de uma das colunas do escritor Daniel Galera n’O Globo. O autor de Cordilheira usou a mesma expressão para falar sobre o nascimento do filho real. Galera escreve sempre as segundas. 

10 comentários:

Joana disse...

Parabéns Frederico, não é todo homem, muito menos homem hetero que pensa assim. Não sei se és hetero e se for está mais ainda de parabéns

Anônimo disse...

Parabéns Frederico não é todo homem que pensa assim. Mais homens e mulheres que tenham segurança da sua sexualidade e que saibam aceitar a do outro nesse mundo, é o que falta.

Anônimo disse...

o que não falta é gente que na rua é católico fervoroso e chega numa Freedom morre batendo cabelo

Anônimo disse...

Como é difícil encontrar um homem que seja a favor da causa. É mais fácil se esconder e dizer quanto o amor é errado, mas o que se pode esperar duma sociedade que vive a lei do desapego?

Anônimo disse...

Que linnnnnnndo isso! Arraso colega, ganho meu coração

Frederico de Barros Silva disse...

Oi Joana,
Sou hétero sim, mas não tenho problema com a opção sexual dos outros. Obrigado pelo comentário

Renato disse...

Adorável o blog todo MAS esse texto ganhou minha total atenção, além de bem escrito poucas vezes vi tanta verdade num texto só!

Anônimo disse...

PLMDDS VAMOS DIZER TODO NÓS!!! XÔ PRECONCEITO e viva ao AMOR

Anônimo disse...

ARRASO simples assim!

Rafaela Gerhardt Piccinin disse...

Encheu meus olhos de lágrimas, Fred. Bom demais, como sempre s2 Beijo